quem é jeff bezos

Quem é Jeff Bezos? História, Polêmicas e Fortuna

Você conhece a história de Jeff Bezos?

Talvez, possa não saber de todos ou os principais pontos da vida desta personalidade, mas, sem dúvidas, você já deve ter ouvido este nome, ou comprado algo em sua loja on-line, a Amazon.

Hoje, Jeff Bezos é uma das figuras públicas mais conhecidas do mundo e dono de diversas empresas que o levaram a ser considerado o homem mais rico do mundo.

Quer saber quem é esse cara e como ele revolucionou nossa forma de consumir?

Então, acompanhe conosco que neste artigo trazemos tudo o que você precisa saber sobre Jeff Bezos.

Quem é Jeff Bezos?

jeff bezos história

Jeff Bezos é o Presidente-executivo da Amazon e em março de 2022 foi considerado o segundo homem mais rico do mundo, segundo o ranking em tempo real da Forbes, com um patrimônio avaliado em US$ 190.5 bilhões. 

Dono de uma das maiores redes varejistas do mundo, o empresário tem em sua formação o diploma dos cursos de Engenharia Elétrica e Ciências da Computação, pela Universidade de Princeton.

Bezos é um empresário nato e sua história também revela um perfil corajoso, logo que largou um importante e promissor cargo na bolsa de valores de Wall Street em busca da abertura e consolidação da sua empresa, no boom da internet nos anos 90.

Aonde mais Jeff Bezos quer chegar? 

Provavelmente, até o espaço! (e nem é meme).

Afinal, o bilionário também é um grande entusiasta e apostador do turismo e exploração espacial, investindo sua fortuna na criação da Blue Origin, sua empresa de desenvolvimento de foguetes e sondas espaciais.

Mas, para além de ter a cabeça nas nuvens (literalmente), Bezos também demonstra grande interesse nos assuntos daqui da terra, sendo dono de um dos maiores jornais do mundo, o Washington Post.

E claro, não bastando tudo isso, o empresário também investe, como ramificações da Amazon, em serviços de streaming (Prime Video), computação nas nuvens e jogos eletrônicos. 

Atualmente com 54 anos de idade e pai de quatro filhos, Bezos é uma das figuras mais influentes e conhecidas do mundo empresarial e de negócios, com uma história cheia de altos e baixos, que você pode conferir com mais detalhes a seguir.

família jeff bezos
Bezos, esposa e seus quatro filhos

Mas como Jeff Bezos ficou rico? Confira a história do bilionário desde o seu nascimento:

O nascimento de Jeff Bezos

Jeff Bezos é fruto de um amor adolescente.

O então futuro dono da Amazon nasceu na cidade de Albuquerque, Novo México, nos Estados Unidos, em 12 de janeiro de 1964, quando sua mãe, Jacklyn, tinha apenas 18 anos de idade.

O menino foi registrado como Jeffrey Preston Jorgensen, aderindo ao sobrenome de seu pai biológico, Ted Jorgensen. 

O convívio entre os dois, porém, foi extremamente breve, logo que Ted e Jacklyn viveram juntos por apenas 17 meses, quando Ted abandonou a família.

Jeff tinha apenas 1 ano e meio de idade quando sofreu o abandono paterno e mesmo seu pai descobrindo em 2012 que o filho era dono da grandiosa Amazon, os dois nunca mais se encontraram.

Ted faleceu em 2015, com 70 anos de idade.

Mike Bezos

O sobrenome Bezos, portanto, entrou na família do pequeno Jeff por meio do seu padrasto, Miguel Bezos, um imigrante cubano que ficou conhecido como Mike Bezos

O dono do sobrenome que viria a ser um dos mais conhecidos do mundo, chegou à família de Jeff quando o menino tinha apenas 4 anos de idade, quando Mike se casou com Jacklyn.

Por adotar Jeff como seu filho, o padrasto deu a ele o seu sobrenome, em 1968. Até hoje, o presidente-executivo da Amazon o considera como seu pai legítimo.

Refugiado da ditadura de Fidel Castro, Mike chegou aos Estados Unidos com 15 anos, onde tornou-se funcionário da Exxon, empresa líder mundial em produtos químicos.

Com a solicitação de transferência de unidade, Mike se mudou com a nova família para a cidade de Houston, no Texas, lugar ao qual o Jeff Bezos passou a maior parte da sua infância e adolescência.

Um dos seus lugares favoritos era a fazenda de seu avô, Lawrence, que foi adquirida por ao se aposentar como diretor regional da Comissão de Energia Atômica. 

Esse espaço se tornou tão especial e saudoso a Jeff que anos depois, já com uma grande fortuna em mãos, comprou áreas ao redor, aumentando os 1.000 km² em mais de 1.200 km².

Adolescência, início da vida adulta e formação

Mas, Houston era pequena para o futuro promissor que aguardava Jeff.

Por isso, já no ensino médio, Bezos se mudou para Miami, onde trabalhou em um McDonalds enquanto participava do programa de ciências da Universidade da Flórida.

Jeff foi um grande destaque de sua turma, tornando-se, inclusive, seu orador. 

Em seu discurso, Bezos citou a vontade de tirar todo mundo da terra e transformá-la em um grande parque de diversões.

Sua vida acadêmica e universitária seguiu o mesmo caminho profissional que o de Mike Bezos, se candidatando e sendo aceito na universidade de Princeton, no curso de Engenharia Elétrica e Ciência da Computação.

Assim como no Ensino Médio, o desempenho de Bezos na universidade foi de excelência, se formando em 1986 com uma das maiores notas de sua turma.

Nesse período, inclusive, tornou-se líder e presidente do diretório de Princeton, um grupo da instituição dedicado à exploração e desenvolvimento espacial. 

Não é surpresa que com um desempenho tão bom, diversas empresas propuseram ao engenheiro recém-formado compor suas equipes.

Bezos, por sua vez, recusa quase todas essas ofertas, indo trabalhar na Fitel, startup de telecomunicações, com foco no mercado internacional, na qual tem uma grande ascensão profissional, se tornando diretor de atendimento ao cliente.

Sua inquietação, porém, o faz se arriscar em um outro segmento completamente diferente: o setor financeiro de Wall Street, no qual atuou como gerente de produto no Banker ‘s Trust por dois anos, de 1988 a 1990.

No setor financeiro, Bezos se encontra profissionalmente e passa a integrar o hedge fund (fundo de proteção) D. E. Shaw & Co, onde tornou-se vice-presidente sênior com apenas 30 anos de idade.

Para pessoas comuns, esse é, sem dúvidas, um sinal claro de sucesso e estabilidade econômica. 

Porém, não foi o mindset adotado por Bezos, o que significa que estava na hora de dar um passo importante em sua carreira: o empreendedorismo.

Do mercado financeiro à Amazon: a história da maior varejista de E-commerce do mundo

jeff bezos amazon

Oportunidades surgem a todo momento. Saber aproveitá-las é o segredo do sucesso.

E isso fica mais evidente quando pensamos no início da Amazon.

A ideia de desenvolver uma loja on-line foi despertada em Bezos no pleno boom da internet, nos anos 90.

Em uma pesquisa feita para a D. E. Shaw e Co, o então profissional do mercado financeiro se deparou com números impactantes, os quais apontavam um aumento do uso da internet em aproximadamente 2.300% ao ano, dados extremamente significativos para a época.

Isso inquietou Bezos, que tomou uma das decisões mais destemidas da sua vida: largar o excelente cargo de vice-diretor sênior para se aventurar com a abertura de sua própria empresa.

Veja também: Ser ou não ser empreendedor? 14 vantagens e desvantagens de entrar nessa

Nas palavras de Bezos, outro fator que pesou em sua decisão foi a questão do arrependimento a longo prazo, logo que, no futuro, não se arrependeria de abandonar Wall Street, mas o arrependimento seria genuíno se não aproveitasse o boom da internet.

O plano traçado

Sem olhar para trás, o recém empreendedor, já casado com sua então esposa, Mackenzie Scott, decide se mudar para Seattle, lugar que Bezos acreditava ser o ideal para o início de um empreendimento.

Essa foi uma viagem importante para tudo o que viria a seguir.

Dentro do próprio carro, o empreendedor começou a esboçar o plano de carreira de sua empresa em nascimento, além de entrar em contato com os primeiros investidores do que viria a ser a Amazon.

E por falar em investidores, seus pais foram uns dos primeiros, com Bezos os convencendo a aplicar US$ 245 mil em sua empreitada. 

Os outros US$ 750 mil foram atraídos de outros investidores externos.

Era, sem dúvidas, muito dinheiro.

A lógica do empreendedor era começar pequeno e rapidamente conseguir abrir IPO (Initial Public Offering), para tornar a empresa uma companhia de capital aberto.

Para isso, apostou na venda de livros on-line para iniciar as atividades.

Essa decisão foi tomada levando em consideração pontos como serem mercadorias de fácil venda, com valor unitário baixo, e por serem de estocagem cara e difícil.

Assim, poderiam facilmente competir com concorrentes de varejo físico, atendendo praticamente qualquer localidade do país e do mundo.

Origem do nome “Amazon”

O passo seguinte era definir o nome da empresa.

Bezos tinha em mente que necessitava criar uma marca forte e impactante nesse início de internet, logo que acreditava que seu modelo de negócio seria copiado rapidamente após ser lançado.

Por isso, o primeiro nome a ser pensado foi “Cadabra” que o empreendedor logo declinou quando um advogado confundiu com “cadáver” (o que não deixa de ser algo impactante, convenhamos).

A segunda sugestão de Bezos foi “Relentless” que, em uma tradução livre, significa “implacável” em português. A opção, porém, não agradou seus amigos.

Em busca de uma nova opção, o empresário se deparou com “Amazon”, termo em inglês para o nosso querido rio amazonas que, em sua visão estadunidense, remetia a ele algo “diferente e exótico”, palavras que gostaria que fossem associadas a sua empresa.

Outro ponto decisivo para essa escolha foi a palavra começar com a letra A, um aspecto extremamente importante em tempos pré-Google, quando buscadores listavam sites em ordem alfabética.

Início de operações e abertura de IPO

Com um site bem diferente do que conhecemos hoje em dia, a Amazon começou a operar em julho de 1995 e, surpreendentemente, superou todas as expectativas de Bezos.

Em dois meses, a empresa já havia despachado livros para todas as regiões dos Estados Unidos, bem como para 45 países.

Nesse início, toda a operação logística partia da garagem da casa do empresário que, junto a sua esposa e funcionários, empacotavam todas as encomendas.

Já nos primeiros meses de funcionamento, o faturamento saltou para mais de US$ 20 mil por semana, mesmo sem automatizar os processos.

Porém, Bezos estava realmente disposto a fazer a empresa dar certo, sem medo de arriscar tudo para isso. 

A essa altura, seu objetivo era conseguir abrir IPO na bolsa de valores e não mediu esforços para investir na empresa e fazer isso acontecer.

Para isso, trimestralmente a Amazon queimava caixa, tendo como foco o recebimento de investimentos por meio de empréstimos e novos investidores.

A visão ousada e corajosa de Bezos surtiu efeito e, em 15 de maio de 1997, menos de 2 anos após a abertura da Amazon, foi possível realizar a sua oferta pública na Nasdaq, por USS$ 18 por ação.

Apesar da abertura de IPO, a empresa continuava com déficit orçamentário. Os que compraram ações da Amazon viram um cenário com os seguintes números:

  • Uma empresa com pouco mais de 600 funcionários;
  • Mais de 1,5 milhão de clientes ativos;
  • E US$ 125 milhões em caixa.

Porém, Bezos tinha convicção em suas escolhas e sabia que aquilo era apenas o começo de uma empresa promissora.

E sua convicção estava certa, afinal, para quem investiu US$ 1.000 na Amazon nesta época, em 2020 teria, aproximadamente, US$ 1,4 milhão em caixa.

Ampliação de ofertas

A venda de livros nunca foi o único objetivo da Amazon. A ideia sempre foi ampliar a oferta de produtos e serviços para os mais variados tipos.

Com o avanço da tecnologia ao longo da primeira década dos anos 2000, Bezos revolucionou a indústria de livros lançando o Kindle em 2007, um leitor digital ao qual poderia armazenar uma infinidade de títulos em um único aparelho.

Ao contrário das lojas físicas, que muito sofreram, e ainda vêm sofrendo com a digitalização de materiais físicos, a Amazon ditou tendência com essa novidade.

Embora a natureza de seus serviços sempre tenha sido on-line, esse foi o marco definitivo para a entrada no mercado digital e de tecnologia.

As inovações não pararam por aí.

Anos mais tarde, em 2014, Bezos lançou a Alexa, a assistente virtual em aparelhos Echo, além de oferecer o serviço de streaming Prime Video, desde 2006, quando ainda era chamado de Amazon Unbox, concorrente direta da gigante Netflix.

Com tanto investimento em tecnologia, a empresa entrou para o grupo das Big Techs (compostas por Apple, Amazon, Alphabet, Microsoft e Facebook), responsáveis por inovar e apresentar soluções tecnológicas aos consumidores, concentrando a maior parcela do mercado.

Tudo isso elevou seu valor de mercado e, em 2022, ocupou a posição de segunda maior varejista do mundo, ficando atrás apenas do Walmart.

Porém, em operações de e-commerce, a empresa ocupa o primeiro lugar de forma disparada, segundo dados da lista anual da National Retail Federation (NRF) e Kantar Retail.

O ranking leva em consideração as receitas internacionais, a participação em franquias e a capacidade de operação em mercados on-line ou abordagem omnicanal.

Isso, por si só, já simboliza que, sim! Jeff Bezos chegou lá!

E, agora? Para onde mais ir?

É hora de olharmos para o espaço

Salto ao espaço: nasce a Blue Origin

jeff bezos blue origin

O sonho do jovem Bezos começou a se realizar no ano 2000, de uma forma bem discreta.

Sem revelar publicamente seus planos e criando empresas de fachada, o empresário passou a adquirir diversos terrenos no estado do Texas, o que levantou suspeitas sobre qual seria a finalidade de tais compras.

Bezos só revelou suas pretensões em 2003, quando divulgou a criação da Blue Origin, empresa com propósito bem semelhante à SpaceX, do também bilionário Elon Musk:

Diminuir os custos de lançamentos ao reutilizar foguetes inteiros ou o maior número de peças possíveis.

Desde então, a empresa vem desenvolvendo e aprimorando protótipos de foguetes que possibilitem alcançar esses objetivos para, em um futuro não tão distante, o turismo espacial e a vida fora da terra se tornarem realidade.

A primeira visibilidade deste futuro se deu em 2015, quando foi lançado o New Shepard, foguete que seguia as diretrizes propostas pela empresa.

lançamento new shephard blue origin
Lançamento do New Shepard

O New Shepard possuía apenas 18 metros de altura e, seu sucessor, o New Glenn, impressionantes 7 metros de altura.

A viabilização do turismo espacial, porém, passou a ser realidade em 2021, quando Bezos, junto ao seu irmão, Mark, a ex-piloto Wally Funk, com 82 anos e o piloto Oliver Daemen, de 18 anos, realizaram o primeiro voo civil tripulado e sem piloto da história.

A viagem que durou 10 minutos e 10 segundos foi totalmente direcionada da terra, chegando a 107 km de altitude.

Embora ainda em meio a conflitos judiciais com a NASA e a SpaceX, a Blue Origin mantém sua pretensão de participar do programa Artemis, o qual a agência espacial estadunidense incentiva a criação de módulos lunares para levar o homem à lua até 2025.

Revolução no Jornalismo

jeff bezos washington post

Bezos sempre teve um olhar amplo para as tendências do futuro. 

Ao observar as mudanças da sociedade que as novas tecnologias proporcionaram, percebeu uma expressiva queda nas versões físicas de jornais.

Bezos, sob um olhar empreendedor, percebeu nessa crise a oportunidade de expandir seu império e, em 2013, comprou por US$ 25 milhões o grandioso Washington Post.

Sua estratégia inicial foi retirar o sistema de Paywalll (postagens pagas dentro do site) para acessos em cidades estadunidenses que não circulavam a versão física do jornal.

Assim como com a Amazon, Bezos queria garantir com isso a presença do jornal em todo o território nacional, além de aumentar o tráfego do site.

A estratégia de investir no digital foi eficaz.

Com o aumento de acessos em 3 anos, em 2016 o jornal conseguiu sair da crise a qual passava e começou a faturar. 

Isso possibilitou a contratação de mais 200 jornalistas, a reabertura de diversos escritórios, além da contratação de desenvolvedores.

Somar essas estratégias a uma boa gestão, levou o jornal a números impressionantes.

Até 2020, o jornal já tinha mais de 3 milhões de assinantes.

Neste período, anunciou a contratação, para o ano seguinte, de mais 150 jornalistas para o departamento de redação, elevando o número de profissionais para 1.000

Além disso, o jornal também passou a vender o Arc XP, seu sistema de publicações que impulsiona mais de 1.500 sites e alcança mais de 1,5 bilhão de usuários únicos atualmente.

O sistema apresenta soluções de conteúdo para empresas de mídia e entretenimento e empresas comerciais de diversos setores, presente em 24 países.

Sua história também é envolta de polêmicas e ataques de diversas partes, até mesmo de roubo de dados pessoais, além de ter sido palco para um dos acordos de divórcios mais caros da história com sua ex-esposa, Mackenzie.

Porém, isso não exclui o fato de Jeff Bezos ser um visionário, ainda mais quando falamos sobre inovações e olhar para o futuro.

Em 2021, Bezos anunciou publicamente sua saída do cargo de CEO da Amazon, passando a integrar a empresa como presidente-executivo.

Desde então, segundo suas palavras,  passará a “concentrar suas energias e atenção em novos produtos e novas iniciativas”

Qual a fortuna de Jeff Bezos?

Com um verdadeiro império em mãos, não há como negar que Jeff Bezos se tornou mais que um simples empresário, mas uma personalidade que chama a atenção e gera curiosidades em todo o mundo.

Uma delas, sem dúvidas, está no valor de seu patrimônio.

Atualmente, Jeff Bezos possui uma fortuna de US$ 190,5 bilhões, o que o torna o segundo homem mais rico do mundo, atrás apenas de Elon Musk.

Veja também: Quem é Elon Musk? História, formação e crenças

Porém, é uma posição que pode mudar a qualquer momento, logo que as ações em torno dos bilionários variam quase que diariamente.

Exemplo disto foi o aumento das ações da Amazon em fevereiro de 2022 que, do dia para a noite, teve uma expressiva alta de 15%, representando uma entrada de US$ 21 bilhões em valor de mercado para a empresa.

Qual o perfil de liderança de Jeff Bezos?

O dono da Amazon começou sua vida pública de forma bem discreta, ostentando escassamente sua fortuna e gerando pouca exposição midiática.

Porém, ao ganhar os holofotes, sua forma de conduzir a empresa e o modelo de ambiente de trabalho adotado pela Amazon começaram a vir a público.

Assim, Bezos recebeu diversas críticas, em especial a pouca doação e auxílio a entidades e causas sociais, mesmo com sua imensa fortuna, como também à postura rígida no tratamento aos fornecedores que não se adequavam às exigências da Amazon.

Pelo seu perfil extremamente focado ao tomar decisões, também foi taxado de ser extremamente severo na pressão à empresa para gerar crescimento e alcançar bons resultados.

Além disso, outra regra adotada com foco nos bons resultados da empresa é a contratação de novos funcionários que, na visão de Bezos, os encarregados só devem empregar candidatos que julguem ser acima da média dos subordinados atuais.

Tudo isso, Bezos justifica no bom atendimento ao cliente que, em sua visão, são o grande foco da empresa.

Essa perspectiva é levada tão a sério pelo presidente-executivo da empresa que o mesmo coloca o e-mail jeff@amazon.com à disposição dos clientes para escreverem diretamente a ele.

Obviamente Bezos não lê absolutamente todas as inúmeras mensagens que recebe, porém, periodicamente seleciona algumas que relatam problemas e encaminha para os diretores responsáveis, que necessitam investigar o ocorrido.

Bezos, inclusive, adota a metodologia das “duas pizzas”

Segundo o empresário, uma reunião deve ter, no máximo, um número de participantes que essa quantidade de pizzas pode alimentar.

Essa visão demonstra a preocupação em tomadas de decisões certeiras e decididas, sem o intermédio de um grande número de pessoas.

10 curiosidades sobre Jeff Bezos

Quer saber mais sobre Jeff Bezos?

Separamos a seguir curiosidades sobre sua vida do bilionário.

1. O sobrenome Bezos

Como comentamos no início deste artigo, um dos sobrenomes mais famosos da atualidade não provém do pai biológico de Jeff.

O progenitor abandonou a família quando o bebê Jeff tinha apenas um ano e meio de idade.

O sobrenome Bezos, por tanto, proveio de seu padrasto, Mike Bezos, um imigrante cubano que se casou com a mãe de Jeff, adotando o menino como enteado e dando a ele o novo registro.

2. Um amor sem perder tempo

Jeff Bezos e Mackenzie, sua ex-esposa, se conheceram em um evento em Nova Iorque.

Na oportunidade, Mackenzie o convidou para almoçar. Depois disso, o relacionamento se desenrolou tão rápido quanto as ações de logística da Amazon.

Três meses após o encontro estavam noivos e seis meses depois, se casaram.

3. Polvo no café da manhã

Se a escolha do nome “Amazon” veio sob a perspectiva de transmitir uma ideia de algo diferente e exótico, Bezos esqueceu completamente da sua comida preferida no café da manhã.

Certa vez, em uma reunião, o presidente-executivo da varejista pediu como primeira refeição do dia polvo com batatas, bacon e ovos.

Uma senhora refeição reforçada, convenhamos.

4. Puxadinhos de milhões

mansão jeff bezos los angeles
Mansão de Jeff Bezos em Los Angeles, Estados Unidos

Não é surpresa alguma que bilionários gostam de esbanjar sua fortuna. 

Obviamente, não poderia ser diferente com a família Bezos.

Mesmo começando seu lar com um apartamento alugado, de apenas um quarto, hoje os integrantes possuem em seus patrimônios cinco mansões espalhadas por todo território dos Estados Unidos.

Uma delas, a mais cara, foi adquirida por US$ 23 milhões, sendo anteriormente um museu que passou por reformas para se tornar uma das casas de Bezos.

5. Distância não é problema

Afinal, mesmo com tantas casas espalhadas pelo país, a família conta com o jatinho particular de Bezos, o modelo Gulfstream G-650ER, para fazer os deslocamentos entre as humildes residências.

6. Colecionador da Apollo 11

A obsessão de Bezos pelo espaço também se revela em um de seus itens de colecionador mais peculiares: o motor da Apollo 11.

Em 2013, o bilionário investiu em um grupo dedicado a encontrar partes da nave usada para levar o homem à lua pela primeira vez.

Nessas buscas, a equipe conseguiu resgatar, do fundo do oceano atlântico e a mais de 4 mil metros de profundidade, o motor do foguete.

7. Brinquedos diferenciados

Certa vez, Bezos revelou que seus filhos tinham permissão para brincar com facas a partir dos 4 anos de idade e com furadeiras a partir dos 7 anos.

Segundo o pai, isso era importante para os filhos terem contato com riscos, bem como para fomentar a curiosidade, elementos extremamente necessários no mundo dos negócios, de acordo com Bezos.

8. Relógio de 10 mil anos

Em 2018, Bezos iniciou a instalação de um projeto financiado por ele mesmo de um relógio que tem como data de validade, nada menos que 10 mil anos.

A empreitada teve um investimento de US$ 42 milhões e tem como objetivo causar a reflexão na humanidade sobre o nosso tempo na terra e o que faremos com ele enquanto estivermos por aqui.

9. Investimento anual de US$ 1 bilhão na Blue Origin

Afinal, para além do turismo espacial, Bezos acredita que o sistema solar pode ser lar de mais de 1 trilhão de seres humanos fora da terra, com o uso da energia do sol.

Por isso, não mede esforços para contribuir com essa nova corrida espacial e, claro, ter o seu nome atrelado aos novos avanços neste segmento.

10. Gastos, mas com críticas

Apesar de um começo bem intimista na vida pública, na segunda década da empresa Bezos passou a ganhar mais atenção da mídia, o que também o incentivou a expor mais seus gastos milionários com diversas regalias.

Isso gerou várias críticas por parte da sociedade, logo que sua fama de mau chefe e das situações de más condições de trabalho nos armazéns vinham crescendo exponencialmente.

Além disso, muito foi criticado pelo baixo engajamento e financiamento em causas humanitárias e sociais.

Livros, filmes, podcasts sobre Jeff Bezos + 4 obras indicadas por ele

O que se passa em uma mente de bilhões?

Quando falamos de pessoas que alcançaram um grande patamar financeiro, muito se especula sobre de onde vem as inspirações e referências para se chegar à mesma estabilidade.

Abaixo, separamos algumas obras que cumpriram esse papel na vida de Bezos e que também podem ter o mesmo efeito na sua vida. Confira:

  1. Livro: “Feitas Para Durar: Práticas Bem-sucedidas de Empresas Visionárias”, de Jim Collins e Jerry I. Porras
  1. Livro: “O Dilema da Inovação”, de Clayton M. Christensen
  1. Livro: “Empresas Feitas Para Vencer: Por Que Algumas Empresas Alcançam a Excelência… e Outras Não”, de Jim Collins
  1. Livro: “ Memos from the Chairman”, de Alan C. Greenberg
  1. Livro: “A Loja de Tudo: Jeff Bezos e a Era da Amazon”, de Brad Stone
  1. Livro: “Jeff Bezos: Amazon.com Architect”, de Tom Robinson
  1. Reportagem: “Jeff Bezos, Mr Amazon, Steps Out Perfil”, do New York Times
  1. Podcast: “This is Success”, do Business Insider
  1. Podcast: “The David Rubenstein Show com Jeff Bezos”, da Bloomberg
  1. Vídeo: “Ted Talks com Jeff Bezos”, do Ted

20 frases de Jeff Bezos para você se inspirar 

Apesar de tantos altos e baixos em sua vida pública, ao longo da carreira Bezos fez diversas declarações que trazem suas perspectivas em relação ao trabalho e ao empreendedorismo.

Abaixo, separamos 20 delas para te inspirar.

  1. “Nos negócios, a velocidade importa – e, além disso, um ambiente de rápida tomada de decisões é mais divertido também.”
  1. “Você não escolhe as suas paixões — suas paixões escolhem você.”
  1. “A vida é curta demais para ser passada ao lado de pessoas que não são talentosas.”
  1. “Reclamar não é uma estratégia. Temos que lidar com o mundo tal como ele é, e não tal como gostaríamos que ele fosse.”
  1. “Trabalhe duro. Divirta-se. Faça história.”
  1. “Tínhamos três grandes ideias na Amazon. Estas foram colocadas em prática nos últimos 18 anos, e são a razão pela qual somos tão bem-sucedidos: coloque o cliente em primeiro lugar. Inove. E seja paciente.”
  1. “Eu quero um bom retorno financeiro, mas para mim há outras coisas importantes, como a recompensa de ver a minha criatividade e a minha visão tecnológica darem frutos e mudarem o mundo de maneira positiva.”

“Se você não quiser ser criticado, nunca faça nada.”

Jeff Bezos
  1. “Você precisa estar disposto a ser incompreendido se você for inovar.”
  1. “Continue inventando e não se desespere quando a princípio a ideia parece maluca. Lembre-se devagar. Deixe a curiosidade ser sua bússola.”
  1. “Não é um teste se você sabe que vai funcionar.”
  1. “Se você não é teimoso, vai desistir de fazer experiências muito cedo. E se não for flexível, vai bater de cabeça na parede e não vai encontrar uma solução diferente para seus problemas.”
  1. “No velho mundo, você dedicou 30% do seu tempo para a construção de um grande serviço e 70% do seu tempo para gritar sobre isso. No novo mundo, inverta.”

“Para salvarmos a Terra, precisamos ir para o espaço.”

Jeff Bezos
  1. “Quando [a concorrência] está no chuveiro de manhã, eles pensam em como vão chegar à frente dos principais concorrentes. Aqui, no chuveiro estamos pensando em como vamos inventar algo em nome do cliente.”
  1. “Uma empresa não pode ficar viciada em ser brilhante, porque o brilhantismo não dura.”
  1. “Uma marca para uma empresa é o mesmo que uma reputação para uma pessoa. Você ganha reputação ao tentar fazer bem coisas difíceis.”
  1. “Se você dobrar a quantidade de experimentos que faz por dia, estará dobrando sua inventividade.”
  1. “As pessoas que estão mais frequentemente corretas são aquelas que mais frequentemente mudam de opinião.”
  1. “A melhor maneira de escapar de uma caixa é inventando seu próprio caminho para fora”

O homem que empacotou tudo por pensar fora da caixa

Qual a próxima forma que Bezos usará para redefinir a nossa forma de consumir e encarar o mundo? Ainda não sabemos.

Porém, não há como negar que esse é um livro aberto, com diversas páginas em branco a serem escritas (ou digitadas) e que o empresário está disposto a ter seu nome registrado nos créditos.

Gostou deste texto, então, você também pode se interessar pelos artigos que preparamos sobre as historias de Elon Musk e Walt Disney, ambos da série “Empreendedores de sucesso”.

Não deixe de assinar a newsletter da Athon Ensino Superior para ficar por dentro de conteúdos sobre empreendedorismo, como esses.

blog vestibular

Quer receber informações sobre inovação e mercado de trabalho?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.