engenheiro da computação

Engenheiro da Computação: O que faz e quanto ganha

Provavelmente, seu dia, assim como o de muitos brasileiros, deve começar assim:

Você acorda e olha no celular que horas são (se não é acordado pelo próprio despertador dele).

Enquanto toma o café da manhã, coloca no GPS o caminho para o trabalho para ver como está o trânsito, ou confere no aplicativo se o ônibus vai atrasar, ou não.

Entra no carro e já conecta o celular ao sistema multimídia do veículo, ou, caso pegue ônibus, já pluga o fone para ouvir sua playlist ou podcast favorito.

Podemos não perceber, mas só nesse comecinho de dia, já estamos totalmente imersos no resultado da atuação do engenheiro de produção, que projeta e constrói todos esses dispositivos e os usamos no nosso cotidiano.

Esse estilo de vida hiperconectado de vivemos, sem dúvidas é fruto também do trabalho deste profissional extremamente importante no mundo moderno.

Quer saber mais sobre a carreira do engenheiro da computação e como suas atividades estão tão inseridas no nosso dia a dia?

Então, acompanhe com a gente esse artigo.

O que faz um engenheiro da computação?

o que faz um engenheiro da computação

O Engenheiro da Computação é um profissional formado em Engenharia da Computação, responsável por projetar e construir hardwares (parte física de dispositivos tecnológicos) e softwares (programas).

Mas, para além de entregar essas duas partes, é também responsável por integrá-las.

De forma exemplificativa, esse profissional é responsável tanto pela criação do que é palpável no computador, como mouse, teclado, monitor, quanto pelo sistema que esses dispositivos serão destinados, de forma que tudo se comunique bem.

É uma área de atuação bem extensa, logo que pelo seu conhecimento pleno em hardware e software, há também a possibilidade de atuação na indústria, em sistemas digitais de automação, como também no suporte técnico em empresas, no gerenciamento de redes.

Por isso, não é errado pensarmos que a atividade deste profissional está totalmente integrada a nossa rotina, logo que desde o uso de periféricos eletrônicos, como placas de som e impressora, até aquele aplicativo que baixamos e salva nossa vida, estão diretamente ligados a atividade deste profissional.

Como está o mercado de trabalho para um engenheiro da computação?

A atuação deste profissional é extremamente essencial para mantermos o modo de vida hiperconectado que adotamos nos últimos anos.

Ainda mais com o advento da pandemia de COVID-19, que acelerou a conectividade entre as pessoas, com muitas atividades migrando para o sistema on-line e/ou remoto.

Cada vez mais se fez necessário sistemas e dispositivos excelentes, que atendam essas necessidades.

Por isso, o mercado de trabalho para um engenheiro da computação está bastante em alta, podendo atuar, além da área de informática, obviamente, também nas áreas automobilística, farmacêutica, telecomunicações, bancos, comércio eletrônico, consultoria tecnológica, dentre outras.

No Brasil, as regiões em que mais se encontram oportunidades de trabalho são nas regiões sul e sudeste.

Porém é importante salientar que em qualquer polo industrial pelo país há demanda para esse profissional, assim como há demanda internacional.

Quanto ganha um engenheiro da computação?

O salário inicial de um engenheiro da computação é de R$ 4.211,00, podendo chegar a R$ 8.052,00, segundo dados do site vagas.com

Ainda segundo o mesmo site, a média salarial deste profissional, no Brasil, é de R$ 6.526,00.

Esses dados representam um cenário de contratação em regime CLT.

Porém, é muito comum a contratação dos serviços deste profissional de forma autônoma ou em contratação como Pessoa Jurídica (PJ).

Nesses casos, a remuneração pode ser ainda maior, levando em consideração o tipo de projeto contratado e a ausência dos descontos em torno do regime de CLT.

Qual a diferença entre Ciência da computação e Engenharia da computação?

De forma resumida, enquanto a engenharia da computação lida diretamente com o desenvolvimento e construção de hardware e firmware, a ciência da computação é responsável por concentrar seus esforços no manuseio de dados.

Podemos observar essa diferença de atuação até mesmo olhando para a história de cada uma dessas áreas, logo que a ciência da computação proveio do campo de estudos matemáticos, enquanto a engenharia ainda é considerada um braço da engenharia elétrica.

Apesar de algumas matérias dos cursos colidirem em certos pontos, os conhecimentos específicos de cada uma se distinguem bastante.

Em Engenharia da computação, os alunos adquirem conhecimentos como:

  • Teoria da computação;
  • Programação;
  • Ambientes;
  • Algoritmos;
  • Segurança e transferência de dados.

Já em Ciência da computação, os conhecimentos são mais focados em:

  • Desenvolvimento e prototipagem de microchips, circuitos, processadores, condutores, entre qualquer outro componente utilizado em dispositivos e sistemas eletrônicos;
  • Desenvolvimento de firmware (um tipo específico de software responsável pela otimização e boa integração entre softwares e dispositivos/ periféricos eletrônicos)

Podemos dizer até mesmo que os cientistas da computação são responsáveis pelo desenvolvimento de modelos algoritmos que serão responsáveis por possibilitar o desenvolvimento de softwares.

Enquanto isso, os engenheiros da computação desenvolvem os dispositivos e firmwares que permitirão o funcionamento destes softwares.

5 habilidades importantes para um engenheiro da computação

Como podemos observar, trabalhar como engenheiro da computação, além da boa remuneração ser garantida, existe um mercado em plena expansão à disposição para ser explorado.

Porém, quais habilidades são necessárias para se dar bem nessa área?

banner mid vestibular

Abaixo, listamos algumas competências essenciais a todo engenheiro de computação.

1. Domínio das ciências exatas

Quando falamos em engenharia, seja ela qual for, é impossível desassociá-la à necessidade do bom domínio dos números e do raciocínio lógico.

Isso se dá pelo que será exigido nas matérias da faculdade que, por sua vez, refletirá um pouco das necessidades do cotidiano (que obviamente serão muito mais intensas e exigentes).

É claro, muito será aprendido ao longo do curso. Porém, ter o gosto e o interesse por esses conhecimentos é extremamente importante para se encaixar na área.

2. Trabalhar em equipe e saber se comunicar

É muito comum criarmos uma ideia estereotipada de que profissionais que trabalham com tecnologia da informação são introvertidos.

Porém, cada vez mais o mercado procura e preza por profissionais que tenham aptidão para trabalho em equipe e boa comunicação, afinal, diversos projetos em que o engenheiro de computação se envolve, é composto também por profissionais de diversas outras áreas de conhecimento.

Logo, são habilidades essenciais para se alcançar bons resultados para a empresa e ter um convívio saudável entre todos.

3. Liderança

Ainda ligado ao item anterior, além de saber trabalhar em equipe e ter uma boa comunicação, diversas vezes esse profissional também comandará equipes em projetos dentro de sua área de conhecimento.

Por isso, saber delegar, gerenciar tarefas, prazos e entregas e identificar as melhores habilidades de cada liderado, são competências que o engenheiro de computação também precisa ter.

4. Senso criativo

Pode até soar contraditório, mas apesar da grande necessidade de aptidão com os números, a criatividade também precisa ser muito fluída nessa profissão.

Em suma, o engenheiro propõe soluções para facilitar a vida das pessoas e, nesse sentido, é preciso ter muito senso criativo para encontrar a solução de problemas.

E, claro, tudo isso aliado à lógica e à exatas.

5. Estar em dia com as inovações tecnológicas

Um dos maiores pecados de quem trabalha com tecnologia, obviamente, é não estar inteirado com as constantes inovações que surgem quase diariamente.

Um engenheiro de computação sempre é contratado para apresentar as melhores soluções tecnológicas para a empresa a qual oferece seu serviço. 

Por isso, é mais que uma obrigação saber o que há de mais novo no mercado e buscar sempre se atualizar, seja em questão de linguagem, plataforma, programas e/ou notícias gerais em torno desse universo tecnológico.

3 tipos de projetos tocados por um engenheiro da computação

Até aqui, já exemplificamos algumas formas de atuação do engenheiro de computação.

Mas, de forma prática, quais outros tipos de projetos que as habilidades deste profissional podem ser utilizadas?

A seguir, listamos 3 para você se inspirar.

1. Tecnologia na gestão

É muito comum o engenheiro de computação ser contratado para o desenvolvimento de soluções tecnológicas para a gestão das mais diversas áreas de uma empresa.

E quando falamos em diversas áreas, é possível colocar nessa mesma lista ferramentas de automação de dados, gerenciamento de pessoas, marketing, finanças, organização de produção, dentre tantas outras finalidades.

Por isso, é muito comum até mesmo esse profissional assumir cargos de lideranças dentro das corporações com o intuito de encabeçar o desenvolvimento, implantação e adesão de tais soluções tecnológicas nesse ambiente corporativo.

Assim, para além de simplesmente oferecer ferramentas, seu propósito final se torna a disponibilização de vantagens competitivas e maior qualidade de processos à empresa.

2. Inteligência artificial

Agora, vamos fugir um pouco da realidade e pensar em algo mais futurista, em um cenário de filme de ficção científica, com a presença da inteligência artificial.

Quer dizer, se pararmos para pensar bem, isso já não é algo tão futurista assim e nem algo tão distante ao ponto de ser exclusivo dos filmes hollywoodianos, afinal de contas, já portamos muito dessa tecnologia na palma de nossas mãos, em nossos celulares.

E você já deve ter uma ideia de quem é responsável por essa realidade já ser algo literalmente palpável, não é mesmo?

A Engenharia da computação vem diretamente de encontro à viabilização da integração de sistemas artificiais inteligentes às máquinas, aplicando sua usabilidade em situações como:

  • Educação, com tutorias inteligentes;
  • Medicina, com máquinas cuidando das pessoas e até mesmo realizando cirurgias;
  • Advocacia, logo que contratar um advogado virtual já é uma realidade em diversos países;
  • varejo, seja no controle de estoques e segurança cibernética, ou simplesmente na integração de avatares com os consumidores (sim, Lu, do Magalu, estamos falando de você).

Veja também: Como a Netflix usa inteligência artificial para “manter você na tela”

3. Transporte autônomo

Hoje, muito se fala sobre transportes autônomos.

Constantemente, multimilionários e entusiastas da tecnologia, como Elon Musk, apresentam projetos inovadores, encaminhando o mundo, cada vez mais, em direção aos transportes autônomos.

Notavelmente, é esperada uma grande expansão desse universo nos próximos anos e, não surpreendentemente, um dos profissionais mais necessários para a integração desses sistemas autônomos com as máquinas são os engenheiros da computação.

Outro ponto interessante a se pensar nesse quesito é a importância ecológica e sustentável que essa atuação carrega, logo que transporte autônomo também é sinônimo de utilização de combustível renovável.

Uma profissão do presente e do futuro

Afinal, não nos faltam exemplos de como o engenheiro de computação é um profissional importante para um mundo mais tecnológico e inovador.

Ficou interessado em seguir nessa área? Então, não deixe de conhecer o curso de Engenharia da computação da Athon Ensino Superior e esteja preparado para esse futuro promissor.

Quer receber informações sobre inovação e mercado de trabalho?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.