analista-de-sistemas-salario

Afinal, o que faz um Analista de Sistemas? Tudo sobre a profissão (2021)

Está pensando em se tornar Analista de Sistemas, mas ainda tem dúvidas sobre essa área?

Então, você chegou ao lugar certo.

Neste texto, vamos tirar todas as dúvidas sobre o que é Analista de Sistemas, o que ele faz, o que precisa estudar, como se tornar um e, principalmente, como está o mercado de trabalho para esse profissional.

Mas, já lhe adiantamos: na era da transformação digital, essa é uma profissão cada vez mais procurada pelas empresas e está extremamente em alta, mas te contamos sobre isso mais à frente.

Vem com a gente que te explicamos certinho.

O que faz um Analista de Sistemas?

De forma bem simplificada, o Analista de Sistemas estuda todos os processos em torno do processamento de dados de uma empresa e apresenta a melhor solução para a tarefa ser realizada.

É uma profissão bastante abrangente, pois pode ser exercida na análise de todo tipo de sistema de dados, desde controle de atividades, despesas e vendas, até mesmo em aplicativos e softwares educativos, por exemplo.

Mas, para além de apenas analisar tais sistemas, este profissional, por vezes, também é responsável por desenvolvê-los, implementá-los e fazer o acompanhamento do seu uso, lapidando-os para a máxima otimização.

É uma profissão que exige um verdadeiro aprofundamento nas realidades e necessidades da empresa, ou cliente, além de um grande senso crítico na solução e entrega de projetos.

Onde um Analista de Sistemas pode trabalhar?

Pelo perfil da profissão, o Analista de Sistemas se tornou essencial em empresas de todos os portes. 

A cada dia que passa, torna-se mais necessária a utilização de sistemas computacionais para o gerenciamento de processos dentro de qualquer negócio.

Segundo um estudo realizado pela rede social LinkedIn a respeito dos empregos em alta em 2021, cargos voltados à tecnologia da informação (TI) ocupam o segundo lugar no ranking, com oportunidades de vagas mais centralizadas nas regiões sudeste e sul do país.

Um fator extremamente importante para isso foi a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), a qual fez com que o Analista de Sistemas torna-se essencial na gestão legal dos bancos de dados das empresas.

Assim, dentro destes cenários, o Analista de Sistemas pode trabalhar no desenvolvimento de softwares (programas computacionais), administrar banco de dados e até mesmo cuidar da parte física de infraestrutura de TI de uma empresa.

É uma área claramente em expansão e com boa média salarial, como você pode ver a seguir.

Quanto ganha um Analista de Sistemas?

De acordo com pesquisa realizada pelo site salário.com, junto aos dados do Novo CAGED, eSocial e Empregador Web, a média salarial de um Analista de Dados é de R$ 5.730,95, em um regime de trabalho CLT de 41 horas semanais, considerando os acordos coletivos de 2021.

Ainda segundo a mesma pesquisa, a faixa salarial varia de R$ 5.000,00 a R$ 12.655,21 de teto, não considerando bônus, comissões entre outros benefícios.

banner mid vestibular

Em eventuais trabalhos freelancer, essa média salarial também pode variar e ser ainda maior, levando em consideração o nível de conhecimento do profissional e serviço executado.

Qual é o perfil de um analista de sistemas e quais são as possibilidades de crescimento dentro de uma empresa?

analista de sistemas

Quem deseja seguir por qualquer área dentro da tecnologia da informação deve, obrigatoriamente, ser antenado às tendências da área, logo que é um segmento em constante mudança e inovação.

Outro passo importante é dominar as linguagens de programação, pois, como vimos, elas serão fundamentais para realizar uma boa análise dos sistemas operacionais, bem como, serão de extrema importância ao arquitetar qualquer projeto.

Ser organizado também é fundamental, afinal, é esse profissional que coloca “a ordem na casa”, em termos de análise e organização de dados. 

Essa característica é importante não apenas para a análise, para também para ser funcional e lógica a estratégia adotada no momento de entrega do serviço para o contratante.

E assim como diversas carreiras, os cargos e projeções dentro da profissão dependerão do nível de conhecimento e aptidão para os projetos assumidos.

De forma geral, essas subdivisões hierárquicas funcionam da seguinte forma:

  • Junior: Essa é a função mais básica, geralmente designada a profissionais ingressantes no mercado (com aproximadamente 2 anos de experiência). Suas funções, em geral, estão ligadas ao levantamento de informações para a construção de sistemas funcionais dentro de projetos assumidos.
  • Pleno: O cargo pleno já assume maiores responsabilidades em função do junior, logo que necessita de conhecimentos em engenharia de software, como também em gerenciamento de projetos. É um profissional com mais experiência na área, atuando na mesma em uma média de três a quatro anos.
  • Sênior: É o cargo mais alto. Nessa função, o profissional terá a missão não apenas de fazer a gestão de projetos, mas também de gerir equipes inteiras. Logo, além de conhecimentos em infraestrutura de TI, também lhe serão necessárias aptidões em gestão de pessoas e negócios.

Leia Também: Faltam Profissionais de TI no Brasil? Entenda o Porquê

Como se tornar um Analista de Sistemas?

Assim como tantas outras “profissões do futuro”, para atuar como Analista de Sistemas, não necessariamente precisa ter uma certificação formal para atuar. O importante mesmo é o conhecimento na área.

Porém, isso não significa que a graduação ou cursos profissionalizantes e específicos não sejam importantes, muito pelo contrário.

Nos processos de contratação em empresas, a formação sempre é levada em consideração, logo que demonstra também o desejo de constante aprendizado, muito ligado ao que comentamos a respeito de estar em dia com as novidades do mercado.

Sendo assim, alguns cursos de graduação na área de TI podem ser excelentes portas de entrada para esse universo em constante expansão.

A escolha mais próxima e direcionada a essa profissão é o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, no qual o aluno poderá aprender e colocar em prática todas essas necessidades cotidianas que apresentamos ao longo do texto, desde aplicações desktop, WEB e apps, até implementação de sistemas de bancos de dados.

Outra opção também é o curso de Redes de Computadores que tem como foco a implantação de infraestrutura de TI de uma empresa, uma das funções que podem ser exercidas pelo Analista de Sistemas. 

A Engenharia da Computação também é uma escolha para quem se interessa mais no desenvolvimento e projeção de softwares para diversas destinações e funcionalidades.

Mercado em ascensão

O Analista de Sistemas é um profissional essencial para as empresas e, com o advento da pandemia de Covid-19, foi cada vez mais evidenciada a necessidade desta profissão nas empresas, pois, mais do que nunca, necessitamos de sistemas cada vez mais otimizados e eficientes.

É um mercado em extrema ascensão e sem previsão de estagnação.

Se esse texto te ajudou a se encontrar como Analista de Sistemas, inscreva-se no vestibular da Athon Ensino Superior e ingresse nesse mundo promissor.

Quer receber informações sobre inovação e mercado de trabalho?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.